segunda-feira, 21 de maio de 2018

HORA DA CRIANÇA nas Livrarias Saraiva em São Paulo todos os sábados às 16h. Por: Girassóis Graúdos Entretenimento & Arte



Foto de Ana Piu.
Fazendo amizades antes de tudo o mais.
Foto de Ana Piu.
Combinando como vamos fazer o cortejo de chamada.
Foto de Ana Piu.
Ler e escutar histórias é muito mais que bom demais.
Foto de Ana Piu.
É melhor que assistir desenho animado? Assistir desenho animado é bom, mas os encontros são mais que demais.
Foto de Ana Piu.
Livros e mais livros para tocar, olhar, sentir e sonhar.
Foto de Ana Piu.
Piu e a sua sacola maravilha " Era uma vez um sonho" .
Foto de Ana Piu.
Cortejo.




quarta-feira, 16 de maio de 2018

NÃO SE SILENCIE, JUNTXS SOMOS MAIS

Finalizamos a etapa de ensaios do espetáculo de palhaçaria feminina sobre violência contra a mulher - " Ar Dulce Ar". Agora é pé na estrada. Esta produção, até à data, não conta com patrocionios nem apoios institucionais. O seu apoio é precioso. A equipe Ar Dulce Ar agradece a todxs que tem apoiado projeto.

Criação e realização coletiva de Ana Piu, Geni Viegas, Leonardo Tonon



Foto de AR DULCE AR.
JUNTXS SOMOS MAIS!
Foto de AR DULCE AR.
" Quando as vítimas, por pressão, medo ou ameaças, ficam em silêncio e não denunciam seus agressores. (...) “A mulher sofre violência e fica presa no casulo ainda. Ela não denuncia. Ela tem medo de denunciar”, ressalta. Ao fazer a denúncia e representação nas delegacias especializadas, ela pode ter acesso a benefícios como as medidas protetivas, que impedem o agressor de se aproximar dela. Em caso de descumprimento, ele pode ser preso. " http://www.avozdeanapolis.com.br/contra-a-mulher-o-silencio-ainda-e-o-maior-inimigo-da-violencia-domestica/

Foto de AR DULCE AR.
" Em todas as classes sociais, a violência contra a mulher é uma realidade. E muitas vezes a única salvação para quem pode morrer a qualquer momento são as autoridades policiais, já que pessoas que estão ao redor muitas vezes não querem se envolver em brigas de casal. A delegada titular da mulher, Marisleide Santos, acredita que ainda prevalece, em muitos casos, a máxima de que “em briga de marido e mulher, não se mete a colher”. " http://www.avozdeanapolis.com.br/contra-a-mulher-o-silencio-ainda-e-o-maior-inimigo-da-violencia-domestica/



terça-feira, 15 de maio de 2018

SÁBIO TEMPO, TEMPO NO LÁBIO



as linhas do tempo inscreveram-se nas linhas da mão
geometria cósmica
umas vezes gósmica
e tantas muitas outras cómica

a suavidade pacifista de tudo estar no seu lugar mesmo quando achamos que não está
achar é aquele bocoitinho à intuição
subimos a árvore com a ajuda das suas raízes e de alguém que nos dá a mão
já no cimo, seguramos-nos os galhos, mesmo que quebradiços
concentramos-nos na agilidade de dançar num voo terrestre
voar é um ato de amor
o espaço é tão grande que as disputas são equívocos de quando nos esquecemos de confiar nas linhas que se desenham e flutuam diante dos olhos fechados
dois Vs desenham um olho vitorioso, brilhante, o terceiro
dispensando vaidades que grudam o voo que se quer livre nas raízes do que já É,
antes mesmo antes de ser, mas que já É
o improvável torna-se provável
porque a probabilidade é a soma de várias tentativas de voo
discernindo fantasia de Amor

A Piu
Br, 15/05/2018

quarta-feira, 25 de abril de 2018

ONDES ANDAVAS TU NO 25 DE ABRIL? LIBERDADE SEMPRE!

Aquela manhã de Primavera parecia ser igual a tantas outras. O sol nascia e punha-se como sempre fez. Cumpria a sua função de sempre que era iluminar sem juízos de valor tempos mais luminosos e outros mais sombrios. Aquela seria uma manhã luminosa para muitos e muitas que há muito, mas muito tempo esperavam. Haviam uns que nem mais acreditavam que alguma vez acontecesse amanhecer em liberdade. Acordar da longa noite da ditadura e do Imperialismo.

Naquela manhã a avó Rosária chegou lá a casa, antes dos meus pais saírem para trabalhar, com a noticia de que escutara na telefonia: o Movimento das Forças Armadas estava na rua e tinha tomado conta de tudo para dar um fora, um basta no governo fascistazão que andava ali a assombrar a vida das pessoas desde 1926!... E para a população manter a calma e não sair de casa. Olha.... Cá para mim eu devia estar no bercinho a coçar as gengivas para que os dentitos saíssem para fora, mas se eu me tivesse dado conta de tal acontecimento a tempo teria acionado o meu controlo remoto e voado dentro duma lata de leite em pó até ao centro de Lisboa. Repare-se no detalhe da lata de leite em pó como um indicativo da entrada sorrateira da lógica de mercado neo liberal. Os pediatras dizem às mães que o seu leite não é bom para amamentar a sua cria e assim as indústrias e suas multinacionais   entravam no até então rural, provinciano Portugal, que "orgulhosamente só" se mantinha como defendia e apregoava o narigudo do Tonecas Oliveira Salazar.

Sim, sou uma filha de Abril, uma menina de amanhã como o José Mário Branco cantava. Passados 40 anos, em 2014, a avó Rosária partiu para outro plano mesmo antes de Abril chegar. Partiu entre a sexta e o sábado de Carnaval daquele ano. Que inicio de ano tão marafado!... Em muitas situações me lembrei dela ao viver  num país tão desigual como o Brasil. Lembrei-me da sua condição de camponesa que vem para a grande Lisboa no final dos anos 40 com o marido e com duas filhas pequenas. Que embora sabendo ler e escrever não teve a oportunidade de ser professora primária como gostaria de ter sido. De muitas vezes ser olhada com preconceito por ser alentejana. Mas pelo que eu a conheço ela não estava nem aí para isso... A minha mãe estava. Não era para ela aquele lugar pequeno ao lado da capital com pessoas que não valorizavam os estudos, muitas delas nem ler nem escrever sabiam mas desdenhavam dos alentejanos. Hoje à distância só posso encolher os ombros para o preconceito, porque o preconceito é fruto da ignorância e precisamos de não absorver o que não nos pertence e seguir firmes no nosso caminho. Focar no que realmente é importante para o nosso crescimento e realização. Como tal, estou muito grata a todos que fizeram parte da minha infância e juventude e que me proporcionaram outras oportunidades que as mulheres da minha família das gerações anteriores não tiveram. Oportunidade de crescer com a consciência do que é ser explorador e explorado e não ter receio de falar disso, com a curiosidade de abrir e ler os livros da estante de casa e ler Fernando Namora, José Saramago, Jorge Amado, Garcia Marquez e outros. Ah! E se alguém achar que os meus discursos são isto e aquilo também volto a dar um Salve ao 25 de Abril que nos deu a oportunidade de reaver a liberdade de expressão. Já a democracia, mais os seu porta vozes... A esta altura do campeonato só posso me lembrar do sociólogo português Boaventurra Sousa Santos que nos chama a atenção para a democracia participativa ao invés da representativa. Mas essa dá mais trabalho e requer auto conhecimento, porque caso contrário os egos andam ali à trolitada. E a era da era da trolitada já deu o que tinha a dar. Oooooooommmmm  ;) <3 VIVA A LIBERDADE!!!

A Piu
Brasil, 25/04/2018

Como frase de ordem escrevo: O 25 de Abril possibilitou o curso da emancipação da mulher. Até então, a mulher só podia viajar com autorização do marido ou do pai- só para dar um exemplo... Esta é a minha avó que possibilitou junto com o meu avô a minha mãe estudar e a ter uma melhor condição de vida. E nós as bruxas voltamos para honrar as nossas ancestrais.


Que das armas saiam flores, cravos, que nos edificam como seres viventes dignos e respeitosos em relação aos outros seres viventes de qualquer pigmentação, cultura e nação. Independência para todxs.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

DIÁRIO DE BORDO

Há dois ou três dias a minha filha de 12 anos pediu para eu contar uma história antes de dormir, como eu  fazia quando ela era mais criança. Mas era para ler uma história e não inventar às pressas, como costumo fazer, acerca da circunstância: " Era uma vez uma menina de sorriso aberto e de pernas compridas ainda com cara de bebé que pediu à mãe para contar uma história. E esta o que fez porque estava com sono? E a ver se ao sonhar a imaginação chegaria mais colorida para contar uma história melhor no dia seguinte." Esse tipo de história jam session não era o pretendido pela dita criatura... E agora o que fazer? Que história contar a uma alma que entrou na puberdade?... Estou feita!... Apesar de tudo os meus 12 anos foram diferentes, apesar de semelhantes mas mais ou menos. Nenhuns 12 anos são iguais... Por isso são 12 anos. Vai daí que ao entrar na livraria cultura na babilónia de São Paulo encontrei este singelo e firme livro. EUREKA! MIL VEZES EUREKA! Para todos os efeitos, se a memória não me falha, uma das primeiras postagens que fiz no "facebruce lee" há um bom par de anos foi uma palestra da Chimanda no Ted. E viva a sincronicidade! As bruxas não existem pero que las hay hay! Cheguei a casa com esta boa nova para a garotinha tuga mwangolé tropical.

A Piu
Br, 23/04/2018







VOLVIDOS 518 ANOS


No Seminário Internacional de Constelações Familiares que ocorreu em Brasília 2016, Bert e Sophie Hellinger falaram sobre a ingovernabilidade de nosso país. Que enquanto o povo brasileiro excluir e/ou não der um lugar em seu coração aos povos de origem, que nosso país continuará ingovernável.
Quem são os povos de origem da maioria da população brasileira? São os índios, os negros e os portugueses.
E o que fazemos em relação à eles? Aos negros, o racismo. Aos índios, a expulsão de suas próprias terras. Aos portugueses, piadas de mal gosto...
A ordem nos relacionamentos é honrar as raízes, é reconhecer quem veio antes. Pois graças à eles e ao que passaram, hoje estamos aqui.
Já viram árvores sem raiz? O destino é a queda.
Por isso, compartilho as ordens do amor, a partir desta visão sistêmica.
A responsabilidade é de todos, de cada um. Só há força pra seguir adiante de forma saudável com reconhecimento das próprias raízes.
Desejo que possamos fazer as pazes com nossa história enquanto povo brasileiro! Lembrando que, a partir dela, da forma como ocorreu, é que estamos aqui hoje.
Que possamos deixar o passado no passado, mas igualmente dar um lugar à quem nos antecedeu em nossos corações."
Sugiro que uma contribuição consciente e profunda de todos nós que reconhecemos o poder transformador das constelações seja - na abertura de todos os grupos - iniciarmos honrando os antepassados históricos de nosso pais.
Idemar Menon
Pare nesse momento...
respire 3x profundamente e vibre:
"Brasil, eu sinto muito por tudo que eu e meus antepassados fizemos com você, me perdoe pela minha inconsciência e de meus antepassados, eu te agradeço por ser uma terra fértil e abundante de alimento e água, com o melhor clima do mundo, sem desastres naturais e sim só desastres que nós homens produzimos devido a nossa inconsciência, Brasil eu te amo, porque você é o país onde meu espírito escolheu evoluir, e não irei te decepcionar."*
*"Brasil amado, perdoe a nossa inconsciência nós não sabemos o que estamos fazendo"
Eu Entrego...
Confio...
Aceito...
e Agradeço.
Assim está feito.

obs: estes dois textos acima não são de minha autoria. Apenas o titulo.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

INTUIÇÃO TELEPÁTICA

Resultado de imagem para pachamama


o tempo suspende-se
as ilusões diluem-se na clareza do silêncio
o que é já É
os olhos do tacto, do olfacto abrem-se

o voo da águia dança com o voo do colibri
luz condensada
matéria
cor translúcida são rasgos na escuridão
como num labirinto os dedos tocam com suavidades nas paredes do pensamento
até chegar na clareira
do que já É
e o que já É está no coração
armazenado com liberdade
tudo flui no que já É

num sopro as águas dividem-se entre o que É e a aparência
a aparência esfumaça-se transformando-se em brisa e cor
a ilusão dança até se evaporar
raízes com asas acariciam o entendimento

A Piu
Br, 20/04/2018